sábado, 29 de outubro de 2016

A Visitante Noturna

O dr. Michael Grosso estava dando um curso de parapsicologia no Jersey City State College, em 1976, quando conheceu Elizabeth Sebben, antropóloga que já tivera muitos encontros paranormais. Ficou feliz por descobrir alguém com quem podia conversar. Michael ficou particularmente interessado em suas experiências extracorporais. Sugeriu que ela tentasse visitá-lo, caso fizesse alguma viagem extracorporal. A visita aconteceu no outono de 1976.
Morando sozinho em um apartamento de seis cômodos, o dr. Michael passava quase todo o tempo tocando flauta. Os exercícios musicais eram normalmente colocados sobre uma estante de partituras, que sempre ficava próxima de um armário. Ele notou que havia alguma coisa peculiar certa manhã, quando, ao acordar, encontrou tal estante no meio do quarto, embora nunca a tivesse colocado ali.
Não voltou a pensar mais no incidente, até a tarde daquele mesmo dia, quando Elizabeth telefonou. Ela tentara entrar em contato com ele na noite anterior, enquanto estava passando por experiência extracorporal, e queria contar-lhe o que vira. Sem perda de tempo, Elizabeth narrou a seguinte história: Ela estivera estudando na noite anterior, quando começou a sentir que estava abandonando seu corpo. Aí, lembrou-se de que queria visitar Michael. Assim, concentrou o pensamento nele e, em pouco tempo, viu-se na cozinha do amigo. Viu-o sentado a uma mesa, estudando alguns documentos e tomando chá. Tentou atrair-lhe a atenção, porém não conseguiu. Então, começou a procurar a maneira de provar sua presença ali. Examinou a residência até encontrar a estante de partituras. Focalizou a atenção no objeto e então, inexplicavelmente, percebeu que sua força de vontade movera a estante para o meio do quarto. Segundos mais tarde, retornou para seu corpo. O dr. Michael não acredita que a experiência possa ser explicada como algum tipo de ilusão.
- Quando uma senhora visita um homem à noite, especialmente sob circunstâncias tão curiosas - diz ele -, seria o cúmulo da falta de cavalheirismo considerá-la como ilusão insignificante.

Charles Berlitz
O livro dos Fenómenos Estranhos
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos