Vozes de Espíritos Gravadas em Fita

Quando morreu, em 1987, o paranormal e produtor cinematográfico sueco Friedrich Jürgenson deixou extraordinária biblioteca. Ela continha milhares de fitas gravadas com vozes misteriosas - vozes que, conforme Jürgenson, haviam sido produzidas pelos mortos.
Jürgenson começou suas pesquisas com o mundo da mediunidade nos anos 50, interessado em estabelecer contato com os mortos. Desejoso de descobrir se os mortos podiam gravar as vozes em fitas magnéticas, Jürgenson passava horas e horas sentado junto ao gravador, pedindo solenemente aos espíritos que aparecessem e falassem através das fitas. Nada aconteceu durante meses, até que ele tentou gravar o canto de um pássaro perto de casa. No momento da reprodução, ocorreu estranha interferência, sugerindo ao cinegrafista a presença de sons sobrenaturais.
- Algumas semanas mais tarde, fui a uma pequena cabana na floresta e tentei outra experiência - revelou Jürgenson.
Em entrevista concedida ao Psychic News, de Londres, ele declarou:
- É claro que eu não tinha a mínima idéia do que estava procurando. Coloquei o microfone na janela e a gravação aconteceu sem nenhum incidente. No momento de reproduzir os sons, primeiro ouvi o canto de alguns pássaros a distância. Depois, silêncio. De repente, de algum lugar, uma voz, uma voz de mulher falando em alemão: "Friedel, minha pequena Friedel, você pode me ouvir?"
Jürgenson ainda não percebera que estava iniciando uma longa pesquisa para entrar em contato com os mortos. Alguns parapsicólogos também ficaram interessados no projeto. William G. Roll, da Fundação de Pesquisas Psíquicas, então sediada em Durham, Carolina do Norte, visitou o produtor cinematográfico em 1964 para realizar algumas experiências. Nessas sessões, Jürgenson colocava uma fita virgem no gravador, e então todas as pessoas presentes na sala começavam a conversar casualmente. Quando a gravação era reproduzida, vozes extras podiam ser claramente ouvidas entre as das pessoas que haviam participado da conversa.
Roll, parapsicólogo extremamente conservador, ficou tão impressionado que fez um relatório especial na viagem à Escandinávia.
- Jürgenson e as vozes de seus "espíritos" - declarou - certamente parecem ser reais.

Charles Berlitz

O livro dos Fenómenos Estranhos
0