segunda-feira, 16 de julho de 2018

Concentrar, Focar, Ondas Alfa

sábado, 14 de julho de 2018

Música Relaxante - Sinta-se em Paz - Relaxar e Dormir

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Música Relaxante - Acalmar a Mente e Relaxar

terça-feira, 10 de julho de 2018

Música para aumentar concentração, foco, inteligência Superior, Equilíbrio Chakra, Ative Sua Mente

domingo, 8 de julho de 2018

Ative Sua Mente Superior - Todas as Músicas Chakra

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Musica Relaxante para Estudar e Trabalhar com Ondas Cerebrais

domingo, 27 de maio de 2018

A Força da Mente e o Crescimento das Plantas

"Converse com suas plantas e ajude-as a crescer", foi um slogan muito em moda nos anos 60. Mas parece que havia um método naquela loucura. Provas científicas reunidas pelo morfologista Bernard Grad, da Universidade McGill, demonstram que algumas pessoas podem usar a força mental para ajudar as plantas a se desenvolverem.
Para realizar a experiência, Bernard Grad plantou sementes de cevada em diversos canteiros, onde foram aguadas com uma solução salina para impedir seu crescimento. O truque era que alguns dos copos com a solução haviam sido "tratados" pelo médium húngaro Oskar Estebany, que transferira para eles seus poderes de cura. Não é preciso dizer que os canteiros regados com a solução especialmente tratada pelo médium produziram mais do que aqueles que receberam o solução salina comum.
Grad repetiu o experimento, mas dessa vez usou dois pacientes mentais, que sofriam de psicose maníaco-depressiva, para cuidar das plantas. Ele queria ver se o humor de uma pessoa podia influenciar o desenvolvimento das plantas. Os pacientes foram simplesmente instruídos a segurar os copos de água antes de as plantas serem regadas. O desenvolvimento dos canteiros foi posteriormente comparado com o de canteiros de um assistente de laboratório, que participara do trabalho original com Estebany. Os resultados foram parcialmente coerentes com a pesquisa anterior. Os canteiros do laboratorista se desenvolveram mais do que os dos doentes mentais. Mas os canteiros de uma outra paciente também cresceram bem.
O dr. Grad ficou confuso com os resultados, até descobrir um dado novo: ao saber que ia participar do experimento, a paciente ficara tão emocionada que saíra de seu estado depressivo.

Charles Berlitz
O livro dos Fenómenos Estranhos

sexta-feira, 25 de maio de 2018

O Vigia Medium

Se você tiver uma tendência para cometer pequenos furtos, não se aproxime do Shoppers Drug Mart, no Canadá. Em vez de usarem complicados sistemas de segurança, a cadeia de lojas resolveu empregar um médium para detectar pessoas que costumam roubar pelo simples prazer de roubar - os cleptomaníacos -, e os funcionários afirmam que ele vale seu salário.
Na verdade, Reginald McHugh, o médium que exerce as funções de vigia, tem uma longa e destacada carreira. Um dia, enquanto esperava para conversar com repórteres da Mediavision, uma empresa cinematográfica que realizava um documentário sobre sua vida, McHugh de repente ficou inquieto. Embora estivesse sentado em uma sala sem janelas nos fundos da loja, ele exclamou:
- Esperem. Estou sentindo vibrações. Daqui a pouco uma mulher morena, usando um longo vestido cor de laranja entrará e roubará uma caixa azul com listras amarelas.
O médium transmitiu, imediatamente, suas impressões ao segurança da loja. Dez minutos depois, uma mulher indiana entrou na loja, usando um sári cor de laranja. O segurança percebeu quando ela colocou uma pequena caixa em sua bolsa e prontamente a deteve quando tentava sair. A caixa azul e amarela continha pastilhas expectorantes para a garganta.
A equipe de filmagem arrependeu-se de não ter captado o episódio. Assim, voltaram mais bem preparados no dia seguinte. Dessa vez, McHugh usava um microfone sob o colarinho da camisa e previu vários outros roubos na loja.
- Esse tipo de furto acontece muito rapidamente - diz Tony Bond, um dos sócios da empresa. - A menos que você saiba quem vai realizá-lo, é quase impossível de ser identificado. Somente com um golpe de sorte, com todos esses corredores e essas gôndolas, conseguiríamos pegar alguém com a mão na massa. E nós conseguimos pegá-los por diversas vezes.

Charles Berlitz
O livro dos Fenómenos Estranhos

quarta-feira, 23 de maio de 2018

A Estranha Visita de Mary Roff

Na questão longamente debatida da reencarnação, um dos casos mais recentes de que se tem notícia é também o mais surpreendente. Trata-se da história de Mary Lurancy Vennum que, aos 13 anos de idade, em 1877, sofreu alguns ataques de epilepsia com estranhos resultados.
A primeira evidência da reencarnação de Vennum emergiu após um ataque que a deixou inconsciente por cinco dias. Quando voltou a si, ela contou a seus pais que visitara o Paraíso e conversara com um irmão e com uma irmã que já haviam morrido. Mary Vennum não tinha irmãos nem irmãs, e para seus pais ela parecia destinada a parar não no Paraíso, mas em um hospício, particularmente depois que começou a falar com as vozes estranhas de um homem e de uma mulher.
Mas Asa Roff, um amigo da família, interveio. A filha de Roff morrera dezesseis anos antes durante um ataque epiléptico, e ele conhecia um médico que podia ajudar. O dr. E. W. Stevens foi chamado e encontrou Mary Vennum em transe mediúnico, incorporando primeiro o homem e depois a mulher.
Stevens prontamente hipnotizou a menina, que contou-lhe que havia sido possuída por maus espíritos. Quando o médico sugeriu que seria necessário um outro espírito do além para ajudá-la a se livrar daquelas entidades, a própria Mary fez uma sugestão: propôs que Mary Roff, a filha morta de Asa Roff, fosse chamada. Ele concordou sem perda de tempo.
Quaisquer que possam ter sido os distúrbios psicológicos daquela menina, o fato é que a ciência da psicologia dificilmente poderá explicar o que aconteceu a seguir. No dia seguinte, Mary Vennum pareceu transformar-se em Mary Roff, e quando a sra. Roff e uma filha foram visitá-la, Mary chamou a irmã pelo nome, embora as duas jamais tivessem se visto, abraçou as duas e chorou. Ela voltou com as duas à casa dos Roff e pareceu reconhecer tudo e todos na vizinhança, constantemente recordando incidentes da infância de Mary Roff. Interrogando-a a fundo, o próprio Stevens convenceu-se de que a menina sabia tudo sobre a vida de Mary Roff.
Após algum tempo, a menina disse à família Roff que só podia ficar ali alguns meses. Posteriormente, anunciou o dia exato em que partiria e, finalmente, despediu-se. Depois disso, ela voltou ao lar dos Vennum, onde o sr. e a sra. Vennum ficaram felizes ao ver que sua filha Mary Lurancy Vennum voltara para sempre - e completamente curada da epilepsia.

Charles Berlitz
O livro dos Fenómenos Estranhos

segunda-feira, 21 de maio de 2018

O Efeito Ganzfield

Alguns especialistas acreditam que todos possuem algum resquício de mediunidade. O problema, afirmam, é encontrar esse sexto sentido nas galerias secretas da mente.
Um dos procedimentos mais bem-sucedidos para ajudar alguém a aprender como usar a percepção extra-sensorial é a técnica de Ganzfield, na qual o voluntário senta-se em uma cabine fechada, à prova de som, e recebe a ordem de ficar descontraído, enquanto duas metades de uma bola de pingue-pongue são colocadas sobre seus olhos. Como as esferas translúcidas dispersam a luz, a pessoa tem apenas um campo visual avermelhado e indiferenciado. Fones colocados nos ouvidos emitem um suave som sibilante, e a pessoa fica isolada de qualquer outra fonte de força sensorial.
O especialista que coordena a experiência, sentado em outro ambiente, olha para imagens selecionadas a esmo e tenta transmiti-las para a pessoa que está sendo testada por meio da PES. Quando a experiência termina, 35 minutos ou mais depois, a pessoa testada é solicitada a separar cópias daquelas imagens, entre algumas outras colocadas ali apenas para dificultar sua tarefa.
Nas experiências de Ganzfield, cujo primeiro relatório foi feito por Charles Honorton, da divisão de parapsicologia e psicofísica do Maimonides Medical Center em 1973, quase metade das pessoas testadas escolheram a imagem correta. Quando o tema de uma dessas sessões era "Pássaros do Mundo", por exemplo, a pessoa submetida ao teste reportava "uma grande cabeça de gavião" e "a sensação de penas macias". Não se consegue um resultado melhor do que esse por intermédio da telepatia.
Desde que os cientistas do Maimonides relataram seu primeiro sucesso, o Efeito Ganzfield foi reproduzido por diversos outros laboratórios de parapsicologia. Hoje em dia, ele é uma das ferramentas mais confiáveis para testes de percepção extra-sensorial.

Charles Berlitz
O livro dos Fenómenos Estranhos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos